Glaucoma

O principal sintoma do glaucoma é a perda da visão periférica, percebida pelo paciente apenas nas fases mais avançadas da doença.

O principal sintoma do glaucoma é a perda da visão periférica, percebida pelo paciente apenas nas fases mais avançadas da doença.

O que é Glaucoma?

O Glaucoma é uma doença degenerativa do nervo óptico de caráter progressivo e que não causa sintomas nas suas fases iniciais. Os principais fatores de risco são o aumento da pressão intraocular e o histórico familiar da doença (fator genético). O Glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo mas, se adequadamente tratado, pode ser controlado e permitir ao paciente ter visão durante toda a vida.

Quais os sintomas do Glaucoma?

O tipo mais comum de Glaucoma manifesta-se após os 40 anos de idade e não possui sintomas nas suas fases iniciais. Com o passar do tempo, a visão periférica vai desaparecendo até restar apenas a visão central (chamada de campo visual tubular). Também existem outros tipos de Glaucoma, como o Agudo, que se manifesta com dor ocular intensa e súbita, vermelhidão e turvação visual, e os Glaucomas Congênito (do recém-nascido, que se manifesta com intenso lacrimejamento e sensibilidade à luz) e Infantil (geralmente associado a malformações oculares).

Como diagnosticar o Glaucoma?

O diagnóstico do Glaucoma pode ser complexo, principalmente nas fases iniciais. Um exame oftalmológico detalhado com a medida da pressão intraocular e a análise do nervo óptico é essencial.

O aumento da pressão intraocular é o principal fator de risco para o glaucoma e pode ser medida manualmente ou por técnica computadorizada.

O aumento da pressão intraocular é o principal fator de risco para o glaucoma e pode ser medida manualmente ou por técnica computadorizada.

Além disso, frequentemente são utilizados exames complementares que auxiliam no diagnóstico:

  • Fotografia do Nervo Óptico: é o registro da anatomia da cabeça do nervo óptico, permitindo a análise minunciosa de defeitos sugestivos da doença e servindo de comparação para exames futuros;
O registro fotográfico do disco óptico é essencial para o diagnóstico e acompanhamento do glaucoma

O registro fotográfico do disco óptico é essencial para o diagnóstico e acompanhamento do glaucoma.

  • Campimetria Visual Computadorizada: é um dos principais exames para definir a presença de Glaucoma por avaliar o funcionamento do nervo óptico. Na presença de Glaucoma estabelecido, o exame permite detectar áreas sem visão no campo visual por lesão do nervo óptico;

folder5_4

O exame de campimetria faz a análise funcional do nervo óptico, detectando áreas de perda visual irreversível causadas pelo glaucoma. Os pacientes com glaucoma devem repetir a campimetria periodicamente para avaliar se a doença está controlada.

  • OCT: a Tomografia de Coerência Óptica permite avaliar quantitativamente a espessura das camadas do nervo óptico. No Glaucoma, a espessura encontra-se diminuída, revelando morte celular.
A tomografia de coerência óptica é uma moderna tecnologia capaz de analizar a anatomia da cabeça do nervo óptico, sendo utilizada para detectar casos precoces de glaucoma e sua progressão ao longo do tempo.

A tomografia de coerência óptica é uma moderna tecnologia capaz de analizar a anatomia da cabeça do nervo óptico, sendo utilizada para detectar casos precoces de glaucoma e sua progressão ao longo do tempo.

  • Paquimetria Ultrassônica: exame que detecta a espessura da córnea (a lente mais anterior do olho). A espessura da córnea interfere na medida da pressão intraocular e deve ser levada em consideração para o controle adequado da doença;
  • Gonioscopia: exame clínico realizado no consultório pelo oftalmologista que avalia a estrutura anatômica responsável pela regulação da pressão intraocular (o chamado trabeculado).

Qual o tratamento do Glaucoma?

A prevenção é essencial e, portanto, pessoas com fatores de risco devem ser avaliadas pelo menos uma vez ao ano. Em caso de Glaucoma já diagnosticado, o controle da pressão intraocular é a base do tratamento, sendo feito através do uso de colírios e, em casos mais graves, de cirurgia.